Glória à terra de Alagoas

Data publicação: 28/09/2017 13:59:45

Visualizações: 162

Glória à terra de Alagoas

Por: ROSA ALBUQUERQUE. PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS


“Alagoas estrela radiosa/ Que refulge ao sorrir das manhãs...” Esses versos ficaram gravados em minha memória de estudante do curso fundamental e foram repetidos ao longo da vida, na medida em que descobria as belezas e a grandeza desta terra abençoada.

Vejo hoje como foi feliz o poeta e jornalista Luiz Mesquita que, no ano de 1894, nos legou uma das mais belas páginas poéticas que, depois de receber melodia criada pelo maestro Benedito Raimundo Silva e de vencer concorrência aberta pelo Governo do Estado, foi oficializada, por decreto do governador Gabino Besouro, como o Hino de Alagoas. O conjunto – letra e música – consegue despertar até hoje o amor pelas gloriosas tradições alagoanas e pela sua história.

Alagoas, apesar de pequenina, encravada no nordeste brasileiro, conseguiu se impor pela bravura de sua gente, pela ação de seus marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. O primeiro, proclamando a República, o segundo, consolidando-a, depois de um período de instabilidade política. Aqui nesta terra também ocorreram episódios históricos como a saga do Quilombo dos Palmares, destacando a figura mítica do líder Zumbi e sua luta pela liberdade.

Na literatura, na ciência, na música e nas artes muitos nomes ajudaram a engrandecer essa terra maravilhosa. Graciliano Ramos, Félix Lima Júnior, Guimarães Passos, Jorge de Lima, Ledo Ivo, Aurélio Buarque de Holanda, Heckel Tavares, Hermeto Pascoal, Djavan, Rosalvo Ribeiro, Pierre Chalita e tantos outros.

As mulheres alagoanas igualmente engrandecem a nossa terra, desde as rendeiras com seus belos trabalhos artesanais, às grandes heroínas como a psiquiatra Nise da Silveira. Temos hoje, num momento histórico do bicentenário do nosso Estado, duas mulheres na presidência do Tribunal de Contas de Alagoas, corte que também completa uma data histórica de seus 70 anos e parte para uma grade evolução no controle de contas e fiscalização de seus jurisdicionados.

Com um coração desenhado em seu mapa, Alagoas mostra o amor com que acolhe os que aqui chegam e quase sempre acabam ficando, fincando raízes, constituindo família, porque quem sente o calor e o carinho do povo alagoano, tem vontade de ficar. O potencial turístico pontuado de um litoral belíssimo, com um mar na cor do céu e praias paradisíacas que enchem os olhos de quem as visita, tem levado o nome desta terra ao mundo inteiro. Poderia escrever muitas linhas para falar dessas belezas naturais, mas posso fazê-lo perfeitamente, usando uma bela declaração de amor escrita por um paraibano, o jornalista Noaldo Dantas que, encantado com o belo cenário da nossa terra, escolheu Alagoas para viver e assim definiu seu encantamento: “Deus, além de brasileiro, era alagoano. Em verdade, não se cria um Estado com tanta beleza, sem cumplicidade”. Ao participar das solenidades alusivas aos 200 anos da emancipação política da Terra das Alagoas, esses fatos se reúnem em minhas lembranças e me fazem refletir o quanto é bela e encantadora a nossa terra; o quanto é brava e acolhedora a nossa gente; o quanto é vitoriosa a nossa história. “Salve, ó terra vitoriosa/ Glória à terra de Alagoas”.